quinta-feira, 17 de junho de 2010


       O MASSACRE DA PEDRA DO REINO

                                   ( FINAL  )

    
          Dia  14 de Maio de 1838, a loucura toma conta dos moradores do reino.Parecia que de repente todos teriam perdidos a razão... como se fosse um sinal combinado,os guardas do "rei" puxaram seus facões e deram inicio a uma grande matança,executando mulheres,crianças ,velhos e animais,o que foi prontamente seguido pela maioria dos presentes,que assassinaram suas companheiras,filhos e pais,e lambuzavam as pedras com o sangue das vitimas. Começava então o periodo sangrento do Reino Encantado da Pedra Bonita. O vaqueiro apavorado fugiu a procura da fazenda do Major,gastando três dias,escondendo-se no mato para não ser pego pelos guardas do Reino Encantado. Ao final do terceiro dia de matança,o "rei" João ferreira tinha lavado com o sangue a base das duas pedras da serra do catolé e terrenos subjacentes. Além das dezenas de corpos de homens,crianças e mulheres(entre os quais,seu pai,sua mãe e uma cunhada),foram sacrificados 14 cães,cujos corpos foram colocados aos pés das pedras em grupos simétricos,conforme sexo,idade e qualidade dos mesmos. Estava disposto a continuar a carnificina,quando no dia 17,pela manhã,Pedro Antonio(seu cunhado),indignado com a morte de suas irmãs e julgando-se com mais direito ao reino por ser irmão do 1° rei da Pedra do Reino,disse ao povo que Dom Sebastião cercado de sua corte lhe aparecera na noite antecedente e reclamara a presença do "rei" João Ferreira,única vitima que faltava para operar-se o seu completo desencanto. E assim foi feito.
Nascia então o terceiro e mais curto reinado,sob o dominio do novo " rei " Pedro Antonio. Antes disso,o povo foi forçado a quebrar a cabeça do rei anterior,a extrair-lhe as entranhas e atar os pés e as mãos do seu cadáver naquelas árvores,por causa dos berros,das roncarias e dos sinistros movimentos que ele depois de morto executava com a boca.  A primeira medida do novo "rei" foi transferir-se,juntamente com os seus para outro local um pouco mais adiante das duas torres,no qual deviam desencantar D.Sebastião,visto que a fedentina era imensa,devido aos corpos alastrados pelo chão e já em estado de putrefação.
    Distante dali devia encontrar-se,no dia 18,com Simplicio Pereira,o Major Manoel Pereira da Silva,para juntos marcharem sobre a Pedra do Reino.Contudo,ao chegarem lá surpreendem-se com a mudança dos fanáticos e inicia-se grande combate entre as duas forças,não dando condições dos homens de Manoel Pereira utilizarem nem se quer suas espingardas. A luta foi de corpo a corpo com o grupo de loucos,cuja idéia era o martírio e a morte para ressurreição e vida eterna feliz no reino de D.Sebastião. Terminada a luta após duas horas do seu inicio,com fuga dos fanáticos e exterminio do Reino Encantado,restavam sobre o campo 22 cadáveres: o do "rei" com 12 dos seus seguidores,inclusive 3 mulheres e os de Cipriano e Alexandre Pereira da Silva-irmão do major-fato este que abalou profundamente.Ainda após a luta o Major e seu grupo,chega ao local,como havia combinado, o Capitão Simplicio Pereira,que travou novo combate com os fugitivos,desta vez,perdendo os adeptos do "Reino Encantado",mas oito companheiros. Em villa Bela,realizou-se o sepultamento dos irmãos do Major Manoel Pereira. Embora o primeiro "rei" da Pedra Bonita,tivesse abandonado a região,todos,principalmente a familia do major,atribuiram-lhe a responsabilidade pelas mortes acontecidas na região. Então,o Major enviou homens de sua confiança para trazerem o farsante,porém,na viagem de volta os emissários adoeceram gravemente de malária,e temendo que João antonio fugisse,matam-no,havendo quem diga que trouxeram as orelhas do "cabra" para a Fazenda Belém. Outras fontes contam que a viagem de volta,ao passarem perto das "Pedras do Reino", o fanático começou a entoar cânticos estranhos que atordoaram os guardas,que temendo morrerem ou permitirem a fuga do distinto,acabaram com a vida dele,livrando definitivamente toda a região da influencia do farsante,pontificando a trágica história do movimento Sebastianista no sertão central de Pernambuco. O sentido mistico-religioso do sebastianismo também contribuiu para o aparecimento de manifestações folclóricas no Brasil. Há registros de lendas sobre o retorno de Dom sebastião,como as do Touro Encantado e a do Rei Sebastião.

William veras de Queiroz  2010 D.C - São José do rio Piranhas- PB   

Nenhum comentário:

Postar um comentário