quarta-feira, 30 de maio de 2012

terça-feira, 29 de maio de 2012

                                                                      Descrição da Foto




                    ÍNDIA MORENA,ARTISTA CIRCENSE

Margarida Pereira de Alcantara, a Índia Morena, é considerada  a maior contorcionista pernambucana de todos os tempos.Com 66 anos,56 dedicados à vida  circense,a artista nasceu  no Recife,em 13 de julhode 1943. sua carreira no picadeiro começou ainda quando era muito jovem,aos 10 anos de idade, na época,morava com os cinco irmãos e a mãe no bairro de Afogados,na Vila São Miguel,e ajudava no sustento da casa catando crustáceos nos mangues do Recife. ainda hoje  Índia Morena se lembra do primeiro dia que pisou em um palco,em 1952,quando ganhou um concurso de calouros promovido pelo Circo Democratas,na época montado na Vila São Miguel. A partir daí,apaixonou-se  pela vida circense e no  dia 1º de julho de 1953 deixou sua casa,contra a vontade da mãe,para seguir a carreira no Circo Itaquatiara. E  mais de cinco décadas sobre as lonas,passou pelo trapézio voador,pela escada giratória,arame vertical,mas foi com  que fez história. em sua carreira profissional integrou mais de 50 circos,destaque para Bartollo,Garcia e o argentino New America Circus. Índia Morena  ainda se apresentou várias vezes no exterior,em países como Uruguai,Argentina ,Paraguai e Bolívia.
Atualmente,lidera a trupe do Gran  Londres Circos. Composta por mas de 20 integrantes,entre palhaços, malabaristas e pernas-de-pau.Apesar de não se apresentar mais como contorcionista,não se afastou dos picadeiros,fazendo vez de mestre de cerimônias,apresentando espetáculos,ajudando palhaços e propagando      a importância da arte circense.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

                                                                         



POETA FRANCISCO SALES ARÊDA


Francisco Sales Arêda nasceu na cidade de Campina Grande,Paraiba,aos 25 de outubro de 1916.Grande poeta popular,foi cantador de viola,cordelista e vendedor de folheto nas feiras.Faleceu em janeiro de 2006 em Caruaru,pernambuco.Cantou de 1940 a 1954,a partir de quando abandonou a viola  dedicando-se exclusivamente a escrever seus folhetos e romances,entre os quais destaca-se " O homen da vaca e o poder da fortuna" adaptado para o teatro por Ariano Suassuna. Seu primeiro folheto foi " O casamento e a herança de Chica Pançuda  com Bernardo Pelado" ,publicado em 1946. Sua obra é extensa e passa por centena de títulos,alguns dos quais ainda inédito,costumava usar o acróstico  FSALES no final de seus poemas.
                                                                          



 SILVÉRIO  PESSOA  FORROBODANDO NA OCCITANIA


Forroccitania é o nome do CD recém-lançado no mercado europeu reunindo o cantor Pernambucano Sivèrio Pessoa e o grupo francês La Talvera,pelo projeto NordesteOccitanie- a união musical de duas culturas de resistência. são 13 faixas,abrindo com a parceia Papagai/Sambada e Massapé,de Silvério e Daniel Loddo,e fechando com de Juazeiro a Crato,de Luiz Gonzaga e Julinho.A divulgação do Forroccitania será feita no verão europeu.Na agenda, shows na Bélgica e frança,entre os dias 15 de julho e 13 de agosto.Daniel Loddo e Silvério assinam o encarte,que tem letras em edição bilingue.

domingo, 27 de maio de 2012

                                                                            


O SOM AO REDOR

O cineasta Pernambucano Kleber Mendonça,lança seu primeiro longa-metragem O Som ao Redor,um olhar critico sobre a cidade e seus habitantes. Com olhos e ouvidos apurados para captar as mazelas do Recife,Kleber recorreu aos sentidos para mostrar sua visão sobre a cidade,em particular, e sobre o pernambucano,no geral. A desigualdades sociais e o  crescimento desordenado estão no cerne de o Som ao Redor,que foi exibido na última quarta-feira no Festival de Cannes,no Marché du Film, o centro de negócios do festival,para uma platéia formada por críticos e distribuidores de cinema internacionais.
O filme ,além de observação urbana e social,é uma obra que respira cinema em cada fotograma,com uma direção marcada pelo rigor estético e excelência técnica. Interpretação,fotografia,direção de som e artes.Se sobressaindo cada aspecto pela qualidade do filme.O filme já foi visto e premiado em festivais  internacionais  da Europa - Lisboa,Copenhague e Roterdã - e dos EUA - Nova Iorque e São Francisco,as cidades americanas onde será lançado em outubro  comercialmente. O filme ainda vai passar na Polônia,Israel,Nova Zelândia,Itália e Bósnia. O Som ao Redor ainda não tem data marcada para sua estréia na pátria amada,possivelmente participe de algum festival. No elenco,estão Irhandir Santos,Gustavo Jahn,W.J.Solha e Maeve  Jinkings,formado por atores profissionais e amadores.






                 A LENDA DO AÇAÍ

Há muito tempo atrás, quando ainda não existia a cidade de Belém, vivia neste local uma tribo indígena muito numerosa.
Como os alimentos eram escassos, tornava-se muito difícil conseguir comida para todos os índios da tribo. Então o cacique Itaki tomou uma decisão muito cruel. Resolveu que a partir daquele dia todas as crianças que nascessem seriam sacrificadas para evitar o aumento populacional de sua tribo.
Até que um dia a filha do cacique, chamada IAÇÃ, deu à luz uma bonita menina, que também teve de ser sacrificada.
IAÇÃ ficou desesperada, chorava todas as noites de saudades de sua filhinha. Ficou vários dias enclausurada em sua tenda e pediu à Tupã que mostrasse ao seu pai outra maneira de ajudar seu povo, sem o sacrifício das crianças.
Certa noite de lua IAÇÃ ouviu um choro de criança. Aproximou-se da porta de sua oca e viu sua linda filhinha sorridente, ao pé de uma esbelta palmeira. Inicialmente ficou estática, mas logo depois, lançou-se em direção à filha, abraçando - a . Porém misteriosamente sua filha desapareceu. 
IAÇÃ, inconsolável, chorou muito até desfalecer. No dia seguinte seu corpo foi encontrado abraçado ao tronco da palmeira, porém no rosto trazia ainda um sorriso de felicidade e seus olhos negros fitavam o alto da palmeira, que estava carregada de frutinhos escuros.
Itaki então mandou que apanhassem os frutos em alguidar de madeira, obtendo um vinho avermelhado que batizou de AÇAÍ, em homenagem a sua filha (IAÇÃ invertido). Alimentou seu povo e, a partir deste dia, suspendeu sua ordem de sacrificar as crianças.

sábado, 26 de maio de 2012

Voce Vai Ver - Rosa Passos

                                                   



 ROSA PASSOS


A Soteropolitana Rosa Maria Farias Passos,nasceu e cresceu cercada de música  sobre um céu de abril de 1952.Estimulada por seus pais, aos 5 anos já era pianista promissora.Aos 15 anos Rosa já aparecera na televisão em Salvador. Na adolescência  seus pais lhe apresentaram uma coleção de João Gilberto e Tom Jobim. Inspirada pelo filme "Orfeu Negro" de 1959  sua trilha sonora,Rosa trocou seu piano pelo violão, e desde então tem se dedicado à arte de compor e cantar.Rosa é constantemente lembrada como a João Gilberto de saias,e existe sim uma semelhança que para ela é um elogio,uma vez que  João é sua influência musical e uma característica que a marcou até hoje.
Em abril de 1972 sua interpretação de "Mutilados" (Antonio Cesar Nunes e Antonio Carlos Morais)ganhou o primeiro lugar no primeiro campeonato de música universitária da Bahia,patrocinado pela TV Itapoan.
Suas composições,escritas justamente com seu longo parceiro e letrista - o compositor Fernando de Oliveira,apareceram  em 1979 em seu primeiro disco "Recriação". após passar vários anos apenas dedicando à sua família,Rosa retornou a música em 1985 recomeçando uma carreira que tem evoluído desde então. Em 1991,Rosa lança seu primeiro CD - "Curare" um álbum contendo os clássicos acordes da MPB que inclui Carlos Lira,Ary Barroso,Tom Jobim,Bororó e Jonhy Alf.
Com o saxofonista  Sadao Watanabe faz excussão no ano de 1996, no Japão,Suiça,Dinamarca,Noruega,Alemanha,Espanha,Suécia,EUA,Colômbia,Cuba e Uruguai.
Rosa dedica o ano de 2007 ao público brasileiro,foi convidada a participar de uma homenagem à inesquecivel  Elis Regina,sua grande inspiração,junto  à Orquestra Jazz Sinfônica no Memorial da América Latina em São Paulo.
Em suas gravações e shows conta com a participação de músicos como Chico Buarque de Holanda,Ivan Lins,Yo-Yo Ma e Henri Salvador,Paquito D'Rivera e Ron Carter

quarta-feira, 23 de maio de 2012

                                      


                                    ZÉ CABOCLO


José Antonio da Silva,Zé Caboclo,nasceu em 1921,em Caruaru,Pernambuco.Zé Caboclo foi casado com Celestina Rodrigues de Oliveira,com a qual teve  8 filhos.José Antonio,Paulo,Socorro,Carmélia,Horácio,Helena,Socorro  e  Marliete(as três últimas são renomadas artesãs da nova geração de mestres da arte figurativa do alto do Moura). Zé Caboclo era filho de uma louceira(Josefa Maria da Conceição)e desde de criança,como era de costume na época,modelava o barro para fazer seus próprio brinquedos.Foi esse seu caminho inicial para se tornar um dos mais conceituado bonequeiro do alto do Moura.No final da década de 40,juntamente com seu cunhado Manoel Eudósio,começou com o Mestre Vitalino na arte de moldar o barro e com ele formou o mais importante trio  de  artistas populares do alto do Moura dos três,apenas Manoel Eudósio continua trabalhando até hoje. Em parceria com seu cunhado Manoel, Zé Caboclo inovou técnica e formas na produção de suas peças.Diferente dos brinquedos que fazia ainda quando criança,uma das novidades que trouxeram foi a introdução do uso do arame e criação dos olhinhos em alto relevo,ao invés de faze-los furadinhos. Os olhinhos do boneca. Os olhinhos dos bonecos passaram a ser pintados com pigmentos brancos e pontinhos pretos,uma inovação  para época e que continua sendo utilizada até hoje pelos artesãos de todo nordeste.

terça-feira, 22 de maio de 2012

Marcos Passos recita Cancão

     
                                       BATUCADA


Manifestação folclórica bastante difundida na  cidade de Estância,município situado no litoral do estado de Sergipe. Os instrumentos de percussão - Tambor,reco-reco,triângulo e ganzá - e o compasso rítmico das batidas dos pés são as características mais marcantes. A Batucada é composta de 100 a 150 figurantes,homens e mulheres,que vestem indumentárias típicas do ciclo junino. Na cabeça,todos usam chapéus de palha e nos pés tamancos de madeira.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

                                                   mestre_pedro


                                          MESTRE PEDRO


Pedro Alves da Silva,este é o nome de batismo do Mestre Pedro,artesão que trabalha com  trançado de cipó de imbé na cidade de Guaramiranga,município situado na região serrana do Maciço do Baturité ,na região norte do estado do Ceará,onde nasceu, no dia 26 de dezembro de 1926. "O homem da cestinha ",como gosta de ser chamado o Mestre Pedro, começou no oficio de artesão ainda criança e tenta  passar  a arte do trançado para os mais jovens,para que essa tradição da arte do trançado em cipó na região do Baturité  não venha a se perder no tempo.Já participou de várias feiras e exposições coordenadas pelo Ceart- Central de Artesanatos do Ceará,sempre como referência  do trançado de cipó de imbé.No ano de 2006, Pedro Alves da Silva foi diplomado "Tesouro Vivo, " que é um reconhecimento simbólico de sua  importância no contexto cultural do estado do Ceará. 

domingo, 20 de maio de 2012

                                           


                                                         A LENDA DO SACI-PERERÊ


O Saci Pererê é um menino travesso de cor negra que possui uma perna, na cabeça usa uma carapuça ou gorro vermelho e fica o tempo todo fumando cachimbo, costuma correr atrás dos animais para afugentá-los, gosta de montar em cavalos e dar nó em suas crinas. O Saci Pererê pode também aparecer e desaparecer misteriosamente, é muito irrequieto e não para um instante sequer pois fica pulando em sua única perna de um lugar para outro e toda vez que apronta as suas travessuras, ele dá risadas alegres e agudas e gosta de assobiar principalmente quando não existe as noites de luar. O Saci Pererê é uma das lendas mais conhecidas em todo o Brasil e a ele é atribuída as coisas que dão errado, entra nas casas, apaga o fogo, faz queimar as comidas das panelas, seca a água das vasilhas, dá muito trabalho às pessoas escondendo os objetos que dificilmente irá ser encontrado novamente. Dizem que ele veio do meio do redemoinho e para espantá-lo as pessoas atiram uma faca no redemoinho que ele vai embora. Embora pertença ao folclore da região sudeste e sul, ele também foi introduzido ao folclore do norte por ser uma figura muito popular nesta região do país

sábado, 19 de maio de 2012

Herbert Lucena  MLSA



                  PRÊMIO DA MÚSICA BRASILEIRA




Pernambuco é o estado terceiro colocado em número de indicações ao  23º Prêmio da Música Brasileira,que tem cerimônia de premiação marcada para  o dia 13 de junho,no Theatro Municipal do Rio de Janeiro.O Caruaruense Herbert Lucena foi indicado nas categorias artista Revelação,Projeto Visual,Melhor Músico Regional,Melhor Cantor Regional. As indicações são pelo álbum Não Me peça jamais que eu dê de graça aquilo eu tenho pra vender,lançado pelo selo coreto Records,de Herbert,em LP e CD. A Mundo Livre S.A disputa a cetegoria melhor banda de rock nacional e Josildo Sá  e Paulo Moura com Samba de Latada ao vivo.Categoria regional  aparece o Quinteto Violado e Silvério Pessoa.Lula Queiroga ,com Todo dia é  fim do mundo,concorrendo ao melhor álbum na categoria que engloba pop,rock,hip hop e funk. ao todo são 104 indicados em 16 categorias. A comissão julgadora  do PMB ouviu 735 discos e viu 93 DVDs. O homenageado este ano é  o Cantor e compositor João Bosco. A cantora Gal Costa concorre ao prêmio na categoria roqueira,não explicaram também a razão da sambista Áurea Martins concorrer a categoria MPB e não samba.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

                                                       


                                  XX CAVALGADA À PEDRA DO REINO   ( PROGRAMAÇÃO)



De 23 a 27 de maio, São José do Belmonte, celebra a 20ª edição da Cavalgada à Pedra do Reino, festividade que atualmente está incorporada ao Festival Pernambuco Nação Cultural - Sertão Central, com shows, oficinas, e a tradicional Cavalhada de Zeca Miron.
Além de São José do Belmonte, o Festival Pernambuco Nação Cultural - Sertão Central estará, no mesmo período, acontecendo paralelamente emSalgueiroCedroMirandibaParnamirimSerritaTerra Nova e Verdejante com apresentações artísticas, e atividades de formação.
O evento é realizado pelo Governo do Estado de Pernambuco, através da Secretaria de Cultura (Secult-PE) e da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), em parceria com as prefeituras da região.

PROGRAMAÇÃO DA XX CAVALGADA À PEDRA DO REINO

Cavalhada Zeca Miron
Sábado, 26/05 – 15h30
Local: Estádio O Carvalhão

Concentração da Cavalgada à Pedra do Reino
Domingo, 27/05 – 5h
Alvorada com banda de pífanos e Coral de Aboio de Serrita
Local: Igreja Matriz de São José

Palco Pedra do Reino
Domingo, 27/05 – 10h
- Jackson da Sanfona e banda Paixão Nordestina
- Danilo Pernambucano

Shows

Palco Espaço Cultural Belo Monte
Quinta-feira (24/05), a partir das 21h
- Mazurca de Mãe Coca
- Maviael Melo
- Assisão
- Santanna
- Pedro Carvalho

Palco Nação Cultural (Estádio O Carvalhão)
Sexta-feira (25/05), a partir das 21h
- Samba de Coco Raízes de Arcoverde
- Anchieta Dali
- Quinteto Violado
- Gerlane Lops

Sábado (26/05), a partir das 21h - Homenagem a Luiz Gonzaga
- Coco de Umbigada
- Quarteto Olinda
- Alcymar Monteiro
- Waldonys

Artes Cênicas

Espetáculo de Circo: Los Mascates Excêntricos (Circo da Trindade)
Sábado, 25/05 – 16h
Local: Praça Sá Moraes

Audiovisual

Mostra Cinema na Estrada, seguida de debate sobre Cineclubismo
Quinta-feira, 24/05 – 19h
Filmes: Vou Estraçaiá (Direção: Tiago Leitão); Cinema Americano (Direção: Taciano Valério); Dia Estrelado (Direção: Nara Normande); Menina do Algodão(Direção: Kléber Mendonça); Poesia em Alto Relevo (Direção: Márcia Mansur e Hanna Godoy).
Local: Castelo Armorial

Cultura Popular

Roda de Mestres
Quarta-feira, 23/05 – 15h
Local: Castelo da Pedra do Reino

Filarmônicas

Encontro de bandas filarmônicas
Sexta-feira, 25/05 – 19h
Banda Musical José de Carvalho Campos e Banda Filarmônica Belmontense

Literatura

Sexta-feira, 25/05
19h – Encontro de Poesia Oral
20h – III Roda de Glosa
21h30 – Recital Poético Musical
Local: Castelo Armorial

Artesanato

De 23 a 27 de maio – 15h às 21h
Exposição e comercialização no Caminhão do Programa de Artesanato de Pernambuco (PAPE)
Local: O Carvalhão

Patrimônio

Quinta-feira, 24/05
14h – PE na Memória
17h - Trupe do patrimônio (teatro de rua)
Local: Castelo Armorial

quinta-feira, 17 de maio de 2012

   

 ANTONIO AMAURY RELANÇA SEUS ÚLTIMOS LIVROS

 O Escritor e Pesquisador Antonio Amaury Corrêa de Araújo,relançou dois livros sobre  a história do cangaço,com apoio da Assembléia Legislativa da Bahia.Os Livros Dadá e Corisco"Gente de Lampião" ,lançado pela Editora Graftech,com 330 páginas e "Maria Bonita " livro que faz parte  da Coleção Gente da Bahia.,o livro tem 279 páginas. 


                                     
  Descrição da Foto




FUNCULTURA VAI GANHAR EDITAL REGIONALIZADO



A Secretaria de Cultura de Pernambuco e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artistíco de Pernambuco(Fundarpe)vão lançar o primeiro edital reginalizado do Fundo Pernambucano de  incentivo à Cultura(Funcultura),em elaboração. O objetivo é atender às classes produtora  e artística e de gestores de todo Estado,a fim de que o fomento atinja,de forma igualitária,as 12 regiões de desenvolvimento,do Sertão ao Litoral.Artistas,empresas ou outras pessoas que trabalham com cultura e desejam inscrevê-los no próximo edital do Funcultura devem se cadastrar como produtor cultural na Fundarpe.

terça-feira, 15 de maio de 2012

                                                                             raul vicente de queiroz.jpg



REPENTISTA RAUL VICENTE DE QUEIROZ


Natural de Pernambuco da cidade de São Joaquim do Monte,cidade situada no agreste meridional do estado,onde nasceu no dia 7 de junho de 1928.Raul Vicente Queiroz,nasceu com  o dom da poesia, e começou a tocar nas feiras livres e participar ativamente de cantorias aos 20 anos de idade. Perdeu a conta dos folhetos de cordel que escreveu,no ano de 2008 editou  o livro "Brasão Poético de Cultura Popular". Mudou-se com a família para o estado de Alagoas,para a capital Maceió,onde reside a algumas décadas,Virou cidadão alagoano,e no estado que escolheu para viver,fundou a Associação dos Trovadores e Violeiros,da qual foi durante 16 anos o seu presidente criou 5 delegacias da AVTA.Este pernambucano de nascimento representou Alagoas em diversos festivais e eventos  pelo país. 

                                                     


                POETA  FRANCISCO DAS CHAGAS BATISTA



Ele nasceu no dia 5 de maio de  1882,na fazenda Riacho Verde,no município de  Teixeira,no Sertão Paraibano.Poeta popular publicou mais de cem folhetos de feira e três  livros Publicado em 1902,seu primeiro folheto,Saudade do Sertão,em Campina Grande,paraíba. Na década de 1910,trabalhou como carregador de água e lenha foi operário da estrada de ferro  em Alagoa Grande. Por volta de 1911 estabeleceu a Livraria Popular Editora,em João Pessoa,PB.Em 1929,publicou Cantadores e Poetas Populares ,pela Editora Batista Irmãos. Entre suas obras poéticas estão os folhetos A Vida de Antonio Silvino - sua vida de crimes e seu Julgamento(1904),História Completa de Lampeão(1925),As manhas de um Feiticeiro(1930) e A Escrava Isaura(1930)"Francisco das Chagas Batista não foi cantador,mas um dos mais conhecidos poetas populares. Sua produção abundantíssima forneceu vasto material para cantoria." conforme Luiz da Câmara Cascudo.O Poeta  Francisco das Chagas Batista faleceu no dia 26 de janeiro de 1930.

segunda-feira, 14 de maio de 2012

                                                             
                                             



                              CERAMISTA  ZÉ DO CARMO



Considerado um patrimônio vivo de  Pernambuco desde 2002,o ceramista José do Carmo de Souza,mais conhecido como Zé do Carmo,Nasceu na cidade de Goiana,na Zona da Mata Norte de Pernambuco,  no dia 19 de novembro de 1933. Filho dos artesãos Manoel de Souza dos Santos e Joana Isabel de Assunção,o artista começou a trabalhar com o barro em 1940 quando tinha apenas  sete anos de idade.Na época ,trabalhava ajudando os pais a fazendo santos,anjos e figuras humanas para serem vendidos nas feiras locais.Mas,para surpresa de todos na casa,o pequeno Zé do Carmo criou um anjo com feições do homem nordestino,fugindo do padrão europeu - anjos loiros,branco  e tocador de harpas. Sua mãe,católica fervorosa,o proibiu de confeccionar aquelas figuras "profanas." O menino atendeu o pedido,mas em 1972,após o falecimento da mãe,voltou a produzir anjos sertanejos que tocavam instrumentos regionais,vestiam bata de beato e tinha cara de gente. Foi o inicio de sua fase de transfiguração humana,que lhe deu reconhecimento nacional.
Em 1980,Zé do Carmo participou de um episódio polêmico,que lhe proporcionou reconhecimento internacional. Na visita do Papa João Paulo II ao Recife,colecionadores da cidade encomendaram uma peça para   presentear o religioso. O artista produziu o Anjo Cangaço,um cangaceiro com espingarda,chapéu e asas.Segundo Zé do Carmo,o então arcebispo de Olinda e Recife,Dom Helder Câmara reagiu  com espanto ao seu "presente," dizendo: "Mas onde já se viu um anjo com cara de cangaceiro?" Zé,humildemente respondeu: "isto é cultura, é a minha maneira de ver um anjo nordestino." Mesmo assim, a peça foi vetada por Dom Helder e não chegou às mãos do Papa João Paulo II.
 Durante vários anos,Zé do Carmo foi professor de modelagem de barro e proporção,além de ter escupido também em pedra.atualmente possui um conjunto de esculturas cerâmicas,algumas em tamanho natural,além de um rico acervo com peças feitas por seus pais,no seu ateliê, na rua Padre  Batalha,em Goiana.
     

domingo, 13 de maio de 2012










                      VICENTE  BARRETO



Cantor e compositor  nascido em salgadelha,vilarejo de Conceição do Coité,região produtora de sisal,no sertão da bahia,mas criado no município de Serrinha,começou a tocar na adolescência,integrando a orquestra da cidade de Serrinha. Tornou-se autodidata na arte de tocar violão.Parceiro de grandes nomes da  Música Popular Brasileira,ao longo de sua carreira gravou 10 discos,entre CDs,Compacto e LPs.  O grupo pernambucano Quinteto Violado foi quem primeiro gravou uma música de Vicente Barreto,Baião do Quiji",em 1973,no disco "Berra Boi.  "  A Parceria em Baião do Quinji é com Fábio Paes.Aos 25 anos foi apresentado a Vinicius de Moraes,com quem compôs a música Eterno Retorno,gravada pela cantora Márcia no LP Ronda de 1979,além do próprio Vicente no CD Mão Direita,em 1996... Em 1979,já estabelecido em São Paulo,ele grava seu primeiro LP,contando com a participação de Gonzaguinha na música Abençoado e Santo... No final da década de 70,Vicente Barreto Começa a trabalhar com Tom Zé,apresentando-se no circuito universitário paulistano e participando dos arranjos de base nos discos Estudando o Samba e Correio da Estação do Brás,divulgados internacionalmente por David Byrne e seu selo Luaka Pop. Também compôs com Tom Zé,"Hein!", "Esteticar" e   Outra parceria de a atualissima "Vaia de Bêbado não Vale"...  Outra parceria de grande sucesso foi com Alceu Valença,nas músicas Morena Tropicana,Cabelo no Pente,Pelas Ruas que Andei,Tirana,Dia de Cão,Vou pra Campinas e Pirapora,que projetaram a carreira dos dois artistas no cenário nacional e internacional.A partir daí,Vicente Barreto passou   a ser reconhecido como um grande compositor da Música Popular Brasileira... diversas intérprete da MPB também cantaram as músicas de Barreto. Mônica Salmaso e Vânia Abreu gravaram Na Volta que o mundo Dá,com letra de Paulo César Pinheiro,parceiro em diversas canções e um dos mais importantes da carreira de Vicente.As mais recentes interpretações das músicas de Paulinho e Vicente foram nas vozes de Maria Bethânia,em Capitão do Mato,música gravada no CD Brasileirinho e na voz da cantora Sônia Rosa que       gravou a música Pássaro Solto no CD Depois do nosso Tempo,produzido em Tóquio em 2007... Celso Viáfora,letrista e compositor paulistano,é outro parceiro constante.A composição mais conhecida é A Cara do Brasil,música gravada por Ney Matogrosso no CD  Olhos de Farol,agora regravada por ele em seu novo lançamento.Outros sucessos da dupla são Por um Fio e A Noticia... Outros parceiros importantes para a carreira de Vicente Barreto foram Bechior,Antonio Carlos Carvalho,Walter Queiroz,Chico César Herminio Belo de Carvalho,Jorge Melo,Paulinho Pedra Azul,Luiz Nassif,entre outros... Desde seu último disco gravado "Noites sem fim dos Forrós",no ano de 2002,Vicente Barreto,com a inquietação que movimenta os grandes artistas,vem aprimorando  suas composições e seu modo de cantar na procura por novos caminhos.Essas mudanças  podem ser percebidas em seu novo CD, o de número dez em sua carreira. O álbum que recebe o nome de Vicente,também foi disponibilizado em japonês e pode ser  encontrado na internet no ITUNES...Novas parcerias também trouxeram uma cara nova ao disco.Zeh Rocha,compositor pernambucano,parceiro de Vicente no inicio da carreira,retorna com quatro belas músicas.Carlos Rennó,letrista e jornalista paulistano dá um tom moderno e atual à faixa "Esse Rio"...Gravado em Campinas e produzido por Marco Bosco para Koala Recordes,o álbum conta com arranjos de Paulo Calasans,que também tocou todos os teclados,Marco Bosco na percussão e, pela primeira vez,Rafa Barreto, seu filho,participa da gravação dando um toque especial às músicas com o som tirado de sua guitarra.




     













                         LENDA DA CAIPORA


No mato este pequeno morador é um pequeno indígena que usa tanga,doido por cachaça e apaixonado por fumo,usa um cachimbo,sua aparência se assemelha-se ao curupira,tendo os pés normais,este é o protetor dos animais e da floresta.Consiste sua atividade maior espantar os animais para não morrer na mão dos caçadores e este quando encontra um intruso tenta confundi-los para que não encontrem o caminho de casa e fiquem perdidos no mato.Este pequeno indio muito ligeiro,possui o corpo cheio de pêlos,daí a razão de os caçadores não alcancá-los,andando sempre montado num porco,galopando velozmente pela floresta  no cumprimento de sua missão. O Caipora emite um som estridente causando arrepios e pavor a todos que o escutam. Em algumas regiões do Brasil o caipora é  conhecido como curupira.
Este gênio da floresta da mitologia do tupi muito ágil e fumante procura deixar as pessoas infelizes nos negócios daí a expressão nordestina  caipora,que dizer falta de sorte.Este ligeiro menino que possui os olhos de brasa,e costuma cavalgar em um porco.é um caboclinho encantado,habitante da floresta e costuma ressuscitar animais mortos,este mito tupi-guarani é muito antigo no Brasil. O Caipora costuma fugir da claridade e é gênio de floresta,costuma envolver o homem de forma perigosa preservando a fauna e a flora.
                                                                             



CANCÃO , O PÁSSARO POETA

Se vivo fosse,hoje o  poeta popular João Batista de Siqueira, completaria exatamente cem anos.Justamente no mês das novenas.Mês de  Maria(a mãe de Jesus,o Sumo Bem),de quem o poeta era supremamente devoto. Mas conhecido no Vale do Pajéu por cancão, ele nasceu no dia  12 de maio de 1912,em  São José do Egito,terra dos poetas,município encravado no Sertão do Pajéu,no estado de Pernambuco.Cancão foi um homem  simples,um homem comum  nos hábitos,no ritual da vida,na sucessão dos dias,no vestir,no gestual.Um homem da terra,um agricultor.No ano de 1950,Cansado da vida de violeiro errante, deixou de participar de cantorias de viola e  dedicou-se apenas à poesia escrita. A obra desse aedo popular já foi classificada pelos críticos como uma versão popular  à poesia de poetas românticos como Cassimiro de Abreu,Fagundes Varela ou Castro Alves. 
Cancão,  quase não teve oportunidade de frequentar os bancos de uma escola e foi ,também,oficial de justiça  na sua querida São José do Egito onde morreu a 5 de julho de 1982. Cancão deixou  três  livros "Meu Lugarejo","Musa Sertaneja " e " Flores do Pajéu"  publicados pela Gráfica Editora Nunes Ltda,Recife,em 1978. Lançou na Literatura de Cordel,três folhetos de sua autoria: " Mundo das Trevas", "Fenômeno da Noite" e  " Só Deus é quem Tem Poder". A Câmara de Vereadores de São José do Egito,realizará na segunda-feira(14)uma sessão solene em comemoração ao centenário do poeta João Batista de Siqueira-Cancão. A festividade,que acontece no auditório que recebe seu nome no Centro de Cultura Bernardo Jucá,às 20h,contará com a presença de diversos artistas e servirá de palco para a entrega  do  "Diploma Centenário do Poeta Cancão". Nove poetas e cantadores receberão a horaria: Valdir Teles,Vinicius Gregório,Nenen Patriota,Egito Siqueira,Delmiro Barros,Antonio Marinho,Antonio de Catarina,Adelmo Aguiar e Afonso Pequeno. 
Conforme o poeta,escritor e pesquisador Ésio Rafael :"De João, a João Batista,como qualquer brasileiro,veio a se transformar em poeta,incomum,escritor de uma linguagem metafórica,sideral e sofisticada.Portador  de uma habilidade que passava por cima das Academias de Letras,das teorias literárias saindo da "velha Grécia" sertaneja do Pajéu,até aportar no solo e na mitologia grega,de fato".



Kerlle de Magalhães - Madrugada (Cancão)

  POETA EGIPIENSE KERLLE MAGALHÃES- MADRUGADA (JOÃO BATISTA DE  SIQUEIRA-CANCÃO)

sexta-feira, 11 de maio de 2012

                                                                    





         SAMBA DE  COCO  SERGIPANO



Uma dança acompanhada de cânticos,a origem é africana ,mas com forte influência indígena . A marcação do ritmo é forte,feita através dos sapateados e das palmas.
Sua origem africana está ligada intimamente à formação dos quilombos.Os negros que fugiam das senzalas se reuniam em locais distantes - quilombos,e para passar o tempo ocioso cantavam enquanto praticavam o ritual da quebra de coco,retirando a "coconha" (amêndoa),para o preparo dos alimentos.No samba de coco,o tirador do coco,também chamado de coqueiro,é quem puxa os versos,que são respondidos pelo coro dos participantes.Os versos podem ser tradicionais e improvisados e aparecem nas variadas formas,quadra ,sextilhas,décimas,etc.  No Samba de Coco o canto é marcado pelos instrumentos de percussão: Zabumba,Pandeiro,Ganzá,cuicas,bombos,tambores,chocalhos,maracas e sanfona. Enquanto dançam, pisando forte e sapateando no chão,os participantes batem palmas e cantam,girando sem parar,desenvolvendo passos e requebros.

 A indumentária é  simples.Às mulheres usam vestidos estampados,com saias rodadas e cinturas marcadas,e os homens,calças comuns e camisas identicamente   estampadas. Nos pés,usam tamancos de madeira que ajudam a sonorizar o ato da pisada no chão.








  





quinta-feira, 10 de maio de 2012

                                                                    



NÚCLEO DE CULTURA POPULAR LEÃO DA VILA


Leão da Vila ou Quilombinho,como também é chamado o Núcleo de Cultura Popular Leão da Vila é um espaço de resgate e continuidade,destinado a difundir algumas manifestações da cultura tradicional do estado de São Paulo e ampliar o senso de identidade no ambiente cultural da cidade de Sorocaba .
Envolvendo jovens e crianças que participam de suas atividades há mais de cinco anos,suas iniciativas têm gerado continuadores que aprende,participam e estendem seus conhecimentos dentro sua comunidade e também no território amplo de sua cidade. 
Em 2008,o núcleo foi contemplado com o PAC 09-2008-CONCURSOS DE APOIO A PROJETOS DE PROMOÇÃO DA CONTINUIDADE DAS CULTURAS TRADICIONAIS DO ESTADO DE SÃO PAULO.Ao lado de grupos e movimentos como a Ação Griô,a Companhia de Folia de Santos Reis "Estrela do Oriente,o Grupo de Fandango de Morro Seco, entre outros,o grupo Sorocabano passou a figurar entre as mais importantes ocorrências da cultura popular da região Sudeste.

terça-feira, 8 de maio de 2012

                                                                                


 MESTRE AZULÃO


José João dos Santos,este é o nome de batismo do poeta de bancada e cantador Mestre Azulão,que  nasceu no oitavo dia de janeiro do ano seco de 1932,na cidade de  Sapé,na Zona da Mata Paraibana.Filho de João Joaquim dos Santos e  Severina Ana dos Santos.Foi criado no trabalho duro do campo,puxando de enxada cobra para os pés. Sua casa  no interior paraíbano ,era ponto de encontro de violeiros  e cantorias,já que seu pai era amante da poesia.Ainda criança,decorou  toadas e romances,decorou o romance do Pavão Misterioso,quando tinha 7 anos de idade.O garoto  Zezinho,filho mais novo de uma prole de 17 filhos,num dia ,agora distante,pegou um ita no norte e se mandou para a então "cidade maravilhosa" com 18 anos de idade.Nas terras do Rio de Janeiro "trabalhou de servente e de pedreiro para ganhar o pão,a vida deste paraíba não foi brincadeira".Mas, nem só de pão vive o nordestino, o Mestre Azulão levou no matulão a sabedoria dos poetas populares para São Paulo e durante o exercício do ofício de pedreiro ele recitava romances e poemas para os companheiros de trabalho,coisas que ouviu e aprendeu durante a infância em Sapé.Depois vieram os versos próprios de rimas exatas.Transcritos em martelos e sextilhas,em fatos do cotidiano,aventuras ,fé e histórias de amor.Morando a 63 anos no Rio de Janeiro,o cantador de viola,cordelista e mestre de reisado, é um dos fundadores da famosa Feira de São Cristovão,ponto de encontro de nordestinos.Com o peso dos 80 anos de idade nas costas, Mestre Azulão,já escreveu mais de 300 folhetos,  um dos expoentes da literatura de cordel,é ainda um dos poucos cantadores vivos que cantam romances, virou tese de doutorado,foi noticia no NewYork Times ,sendo frequentemente convidado para apresentações em universidade  brasileiras e no exterior.Mestre Azulão tem trabalhos publicados pela Tupynanquim Editora, no ano de 2005, ganhou  homenagem no II Festival Internacional de Violeiros e Trovadores,em Quixadá,Ceará. 

segunda-feira, 7 de maio de 2012

                                             



                      EVENTO  NO SERTÃO


O Cllisertão,1º Congresso Internacional  do Livro,Leitura no Sertão,que acontece de 14 a 20 de maio em Petrolina,no Vale do São Francisco Pernambucano. o encontro que pretende discutir a literatura como marca identitária de um povo,além de refletir sobre ações e politicas para o setor. Palestras , conferências,apresentações de trabalhos acadêmicos no formato de poster ou comunicação oral,mini cursos e shows integram a programação. E tem como convidados Ariano Suassuna,Luis Serguilha e Ronaldo Correia de Brito.o evento tem uma parceria do Governo do Estado(Fundarpe,Secretarias de cultura ,Ciências e Tecnologia) e a Universidade de Pernambuco.
                                                       Sebastião chicute



                               MESTRE SEBASTIÃO CHICUTE




Sebastião Alves Lourenço,nasceu no dia 24,durante um céu  de abril, do ano da graça de 1934,na cidade de Capistrano,município situado na microrregião da Serra do Baturité,ao norte do estado do Ceará. Mestre Sebastião Chicute,além de mestre de reisado,tem também a arte de fazer versos como autor de livros de cordel e canções sertanejas. Teve  sua vida toda dedicada à cultura,através de seu esforço pessoal,sem apoio oficial,sempre se procurou manter viva a tradição do cordel e reisado.
                                                                    


                                          
           BOITATÁ OU COBRA DE FOGO


                                   
 O Boitatá é mais uma lenda  do imaginário do povo que habita a região amazônica do Brasil.Também conhecido como "fogo que corre",o boitatá,no folclore brasileiro,é uma grande cobra de fogo.Este bicho imaginário foi citado pela primeira vez  em 1560,num texto do padre jesuita José de Anchieta. Na língua indigena tupi,"mboi" significa cobra e "tata" fogo.Conforme  o Caboclo  da amazônia, a "cobra de fogo" ou "boitatá" é o guardião e protetor das matas e florestas iluminando a noite,conhecido como a cobra de fogo,possui os olhos grandes e furados e sua figura  assusta as pessoas e os animais.E é combate  os intrusos que incendeiam as florestas.Esta serpente de fogo reside nos rios e lagos e sai do seu "habitat" para queimar as pessoas que praticam incêndios nas matas.De acordo com a lenda,o boitatá possui a capacidade de se transformar num tronco de fogo.É muito temida,muitas vezes aparece nos campos sob a forma de um fantasma transparente e branco tornando-se mais assustador quando ilumina os campos com sua  luz,assustando as pessoas e os animais.Numa lenda do sul do Brasil, a explicação para o surgimento da cobra de fogo está relacionada ao dilúvio(história bíblica que fala da chuva que durou 4 diase 40  noites). Após o dilúvio,muitos animais morreram e as cobras ficaram rindo felizes,pois havia alimento em abundância. Como castigo,a barriga delas começou a pegar fogo,iluminando todo corpo.   O Boitatá quando morre,acredita-se que ele libere toda luz de seu corpo que levada pelo vento espalha-se pela região onde ele habitava.Pesquisadores afirmam que esta lenda está  associada aos incêndios,que ocorrem espontaneamente em função da queima de gases da decomposição de material orgânico.





sábado, 5 de maio de 2012

Voz da Terra, por Paulo Matricó (05/04/2012)

                             São João do Recife                   




                            PAULO MATRICÓ


O Cantador e poeta Paulo Matricó,trás no matulão e no coração a história do seu povo e do sertão.Nascido no Vale do Rio Pajéu,em Tabira,Sertão Pernambucano,bebeu na fonte da poesia sertaneja. Trás consigo o legado do pai," Albino Pereira," e de outros menestréis da cantoria do Pajéu das Flores,como Jô Patriota,Zé Catota,Pinto do Monteiro e Lourival Batista(Louro do Pajéu), a arte de contar histórias simples com o apuro de métrica e a graciosidade da linguagem  popular,peculiares no repente e no cordel.A descoberta da viola e da música como expressão veio mais tarde,(1990),com a formação do grupo Matricó-expressão indígena que significa que significa Pai fogo(instrumento rudimentar que com o atrito entre duas pedras gera fogo) - em Caruaru. No grupo Paulo era vocalista e percussionista.Nesta época nasceram suas  primeiras composições. Criado no meio de repentistas,cantadores e forrozeiros,Paulo Matricó traz a semente destes artistas tipicamente nordestinos e naturalmente fortes. Carregando consigo as influências de grandes  mestres da cantoria e da música popular como: Zé Marcolino,Jackson do Pandeiro e Luiz Gonzaga,Paulo Matricó faz uma música cheia de poesia e ritmos bem peculiares.
 Matricó integra ma leva de artistas cujo tema principal é a cultura local e que pretende mostrar,para o Brasil e para o mundo, o lado belo e encantador do Sertão nordestino.Dentre eles estão Anchieta Dali, Elomar,Xangai,Vital Farias,Maciel Melo e outros.
 Música Regional Popular Brasileira,é assim que Matricó auto-denomina seu trabalho,uma mistura de ritmos puramente nordestinos:xote,baião,côco,forró,arrasta-pé,toadas e boiadeiras.
Como artista,se apresenta em grandes eventos como : São João de Caruaru e Recife;Festival de Inverno de Garanhuns,e circuito Pernambuco Nação Cultural;Missa do Poeta,em Tabira,além de shows em teatro e outros espaços,em diversos estados do Brasil,acompanhado por grandes músicos,como Luciano Magno,Manassés,Ocelo Mendonça e tantos outros.
 Sua atuação estende-se também à pesquisa e difusão da historiografia da cantoria e da poesia popular,bem como na participação e promoção de eventos culturais. Em 2007 esteve na Europa,como músico e oficineiro,participando de importante festival de cultura brasileira,nas cidades de Madrid e Servilla.
Lançou seu primeiro CD em 1995 e até o  momento vem construindo uma importante obra com 7 álbuns publicados,inclusive um deles: MARIA PEREIRA,lançado na Alemanha,em parceria com o compositor alemão Stephan Maria,em 1999,quando residiu e trabalhou por 2 anos naquele país. Seu sétimo CD,CLARO O CORAÇÃO DO CERRADO,gravado em estúdio e lançado em 2007,com temas ligados à defesa do meio ambiente e sua vivência nas terras do Centro Oeste brasileiro.
 Seu mais novo lançamento,o DVD e CD ao vivo,CARO(O Coração do Cerrado),traz também algumas músicas de seus trabalhos anteriores,como: Junho Também e Apreço ao meu lugar. Conta ainda,com a participação de importantes músicos,como:Dércio Marques,Ocelo Mendonça,e outros,além de sua filha Meriele Pereira. 







sexta-feira, 4 de maio de 2012

                                                       



                        ALCIDES GELADEIRA


Alcides Geladeira ou  Almedeiros,esta era a alcunha de um dos maiores violeiro do Brasil Central,Seu Alcides era representante da cultura da cidade de Cabaceiras,no  estado de Goiás. Alcides era primo de Badia Medeiros,outro grande mestre da viola que nasceu na cidade de Unaí,Minas Gerais e mora há algumas décadas na cidade Goiana de Formosa. Almedeiros era um icone, um grande compositor de música caipira.Fã de duplas caipiras como Praião e Prainha ,Silveira e Barrinha,Tonico e Tinoco.E era um dos grande intérpretes destas duplas. O mestre da viola de Cabaceiras ,faleceu no final do ano de 2010,deixando para trás  uma vida de dedicação e compromisso com a cultura do povo do Cerrado.



quinta-feira, 3 de maio de 2012

4º Festival da Sanfona - Renato Borghetti e Beto Hortis




 RENATO  BORGHET    E    O   SANFONEIRO    PERNAMBUCANO     BETO     ORTIZ,
 DURANTE APRESENTAÇÃO DE  ENCERRAMENTO DO 4º FESTIVAL DA SANFONA 
 DE SALGUEIRO,PERNAMBUCO,REALIZADO NOS DIAS 28,29,30 DE ABRIL DE 2012,
 NO PÁTIO DO CENTRO DE CULTURA E LAZER, ANTIGO  ARMAZÉM  DE  CARGAS
 DA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA. 
  VENCEDORES  DO 4º FESTIVAL DA SANFONA DE SALGUEIRO 



1º colocado- HERINHO MONTEIRO - Salgueiro-PE



2º colocado -  PAULINHO DE OURICURI- Ouricuri-PE



3º  Colocado - ZEZINHO DO ACORDEON -Salgueiro-PE



CATEGORIA SANFONA DE 8 BAIXOS - 1º Colocado - BILIU  DOS  8 BAIXOS - MOREILÂNDIA - PE

quarta-feira, 2 de maio de 2012

                                                 



                                                         SARANDAIA


No Estado de Sergipe,a Sarandaia, é uma brincadeira,uma manifestação popular cujo objetivo é celebrar a chegada do mês de Junho e marcar o inicio dos  festejos juninos.Trata-se de um grupo de pessoas,homens e mulheres de todas as idades  animadamente percorrendo as ruas da  cidade de Capela,tocando e dançando.Param em residências onde são convidados pelos donos da casa  para comemorar,comendo e bebendo.Por onde passa,o cortejo ganha novos adeptos. E assim,continuam pelas ruas até o fim da brincadeira. Sarandaia é a junção de dois grupos folclóricos: Zabumba e Bacamarteiros. No dia 31 de  maio à meia-noite,eles saem às ruas pedindo brindes para ajudar a compor o mastro. O cortejo invade a noite  ao ritmo da zabumba e os estouros dos bacamartes.


                                                



 UNIÃO DOS  CORDELISTAS DE PERNAMBUCO COM NOVA DIREÇÃO





A UNICORDEL(União dos Cordelistas de Pernambuco) tem um novo presidente, para o biênio 2012/2014: é Felipe Júnior,poeta e cientista politico de São José do Egito,município situado no Sertão do Pajéu, o poeta Felipe Junior reside na capital pernambucana desde 2003. A entidade reúne poetas,amantes e pesquisadores da literatura de cordel e da poesia popular.